Portal da Cidade Poços de Caldas

AUDIÊNCIA

Câmara analisa mudanças na estrutura administrativa do DMAE

Projeto de lei em pauta na audiência está em tramitação nas comissões permanentes da Câmara

Postado em 14/09/2018 às 10:28 | Atualizado hoje às 07:25

Servidores do DMAE acompanharam o debate e fizeram questionamento sobre o projeto (Foto: ACS/Câmara Municipal)

A audiência pública realizada pela Câmara, na última quarta-feira (12), discutiu alterações na lei que criou o Departamento Municipal de Água e Esgoto (DMAE). O projeto, de autoria do Executivo, propõe uma reestruturação administrativa, transformando o Departamento em DMAE Saneamento Básico de Poços de Caldas.

O encontro contou com a presença do diretor-presidente da autarquia Antônio Roberto de Menezes, do supervisor de Atendimento Alex Toledo Siqueira, do gerente administrativo Maurício Kato da Silva e da presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindserv) Marieta Carneiro dos Santos. Diversos servidores do DMAE também acompanharam o debate.

A audiência foi solicitada pela Comissão de Justiça, Legislação e Redação Final, tendo em vista a importância das mudanças propostas pelo Executivo. De acordo com o projeto, o DMAE Saneamento terá por objetivo realizar a prestação dos serviços de saneamento básico, conforme previsto na Lei Federal n. 11.445, de 05 de janeiro de 2007. Atualmente, o Departamento atua somente no fornecimento de água potável e esgotamento sanitário e a legislação federal considera como saneamento básico também a limpeza urbana, o manejo dos resíduos sólidos e a drenagem das águas pluviais. Com isso, segundo a autarquia, será preciso ampliar e modernizar a estrutura administrativa, com o objetivo de melhorar a qualidade dos serviços públicos oferecidos.

A necessidade de um maior diálogo com os servidores sobre as mudanças propostas no projeto, a discussão e votação do Plano de Cargos e Salários e o planejamento da autarquia com relação aos resíduos sólidos foram alguns dos assuntos abordados pelos inscritos. Além disso, houve diversos questionamentos do público, entre eles com relação à situação dos gastos com pessoal e possível perda de benefícios com a reestruturação.

A presidente do Sindserv destacou a importância da união e participação coletiva dos servidores em todos os momentos em que estão diante de uma situação de impasse e dúvidas. “Quero agradecer a oportunidade da convocação da audiência, isso mostra a abertura que a Casa nos dá para estarmos aqui junto aos vereadores. O Sindicato analisou todo o projeto de lei de reestruturação, fizemos as observações e enviamos ao DMAE. São ponderações com relação a dúvidas das criações dos cargos comissionados”, disse.

Marieta ressaltou, ainda, que o Sindicato tem acompanhado de perto todo esse processo. “Nós sabemos que essa Casa é muito responsável. Todas as vezes que os projetos entram aqui, em caso de dúvidas, somos consultados. A Assessoria Jurídica é muito ponderada nesse ponto e sabíamos que todas as dúvidas que viessem parar aqui íamos ter a oportunidade de manifestar. Estávamos acompanhado bem de perto e vamos continuar. Os servidores do DMAE estão inseguros, não somente sobre a reestruturação. A presença massiva e significante deles mostra que existem vários problemas que realmente precisam ser revistos. O Sindicato está alertando a administração pública, não só neste mandato, dos problemas estruturais que existem há muito tempo para evitar qualquer tipo de impacto na prestação de serviços e principalmente na qualidade de vida do trabalhador. Essas duas situações precisam caminhar juntas”, afirmou.

O diretor-presidente do DMAE enfatizou que as alterações são necessárias tendo em vista que a estrutura organizacional da autarquia é de 1994. “Algumas funções deixaram de existir, outras novas chegaram, e não temos isso na estrutura. Existem, inclusive, muitas ações da Justiça por desvio de função, porque é preciso que o servidor faça determinado serviço, mas aquilo não está na descrição do cargo. E a descrição do cargo não está, por exemplo, vinculado ao Catálogo Brasileiro de Ocupação. Então, o que fizemos agora foi vincular a esse Catálogo, criando uma estrutura moderna, inclusive que atende à Lei de Saneamento, que é a 11.445. A legislação diz que a gente tem que ter, em uma única empresa, as quatro vertentes de saneamento”, explicou.

Segundo o diretor, o que está em discussão no momento é a reestruturação e não o Plano de Cargos e Salários. “A audiência foi excelente. Infelizmente, algumas pessoas não entenderam, inclusive quando fizemos o convite aos servidores deixei claro que não estaríamos discutindo o Plano de Cargos, Carreiras e Salários. O projeto da estrutura administrativa já está na Câmara para ser aprovado e já passou pela Assessoria Jurídica. Agora estamos mandando a Lei de Serviços e o terceiro [será] o Plano de Cargos, Carreiras e Salários”, comentou.

De acordo com o presidente Antônio Carlos Pereira (DEM), foi um debate muito proveitoso “Certamente, teremos uma nova audiência para esclarecer dúvidas não só da reestruturação como também do Projeto de Carlos e Salários. É importante ressaltar o trabalho das comissões, através de todos os seus membros, inclusive destacando a proposta apresentada pelo relator vereador Paulo Eustáquio de Souza, que sugeriu uma reunião com a comissão de trabalhadores do DMAE”, declarou.

Fonte: ACS/Câmara Municipal

Deixe seu comentário