Olá Visitante! Cadastre-se ou faça seu Login
Login com Facebook
ou
Você está em Poços de Caldas / MG

Você está aqui: Home / Colunistas / Contraponto / Entre matos e buracos
Atualizado


Entre matos e buracos

Existem problemas em Buracos de Caldas, quer dizer Matos de Caldas, ops, Poços de Caldas que vão e vem, ou vão e voltam, ou versa e vice. Um deles: buracos. O outro: mato.


A partir desta constatação, vou sugerir a prefeitura que se crie uma nova pasta: a Secretaria de Matos e Buracos. Dirão que já existe uma pasta responsável por isto, a de Serviços Públicos, que conforme o site da prefeitura, “cabe os assuntos referentes à limpeza pública, parques e jardins, funerária, cemitério, fiscalização de posturas e dos serviços públicos concedidos ou permitidos”. Penso que é muito serviço público para uma única pasta e também não combina muito, e pode até confundir, abrir valas no cemitério e ter que fechar buracos nas ruas.


O certo é que não conseguimos (e faz tempo) dar conta de tapar os centenas, milhares, milhões (?) de buracos existentes no município. O assunto é motivo de piadas, principalmente em rodinhas de amigos jogando buraco (hein?).


A gente brinca, mas o tema é tão sério que tem muita gente entrando literalmente em depressão. E não é somente nas ruas ou nas rodovias de entradas/saídas da cidade. Os buracos agora resolveram também ocupar os passeios da área central e até a “buracovia” de quem busca caminhar ou correr pela Avenida João Pinheiro. Muitos atletas estão correndo na ciclovia, cujo piso está melhor, e outros propondo um campeonato de bicicross na pista de caminhada. Outra ideia é ter, a exemplo dos atuais fiscais de trânsito, os “guarda matos e buracos”, funcionários responsáveis por não deixar o mato crescer e o buraco aparecer. Apareceu um buraco? Multa. Cresceu o mato? Multa.


No caso dos matagais a situação é tão grave que tem gente que acha que a cidade pertence ao estado do Mato Grosso. Outros mais saudosistas estão propondo a volta de um ex-secretário de serviços urbanos da década de 1990, o Toninho de Mattos, pra ver se a coisa melhora.


E daqui pra frente, em período de chuvas, até as águas de março, a coisa piora e muito. É o mato, é o buraco, até o fim do caminho, é um resto de toco, é mais um buraquinho.


Pra finalizar, entre matos e buracos, tem muita gente que já se conformou. Afinal, como dizia a saudosa Dercy Gonçalves, “por maior que seja o buraco em que você se encontra, pense que, por enquanto, ainda não há terra em cima”.



Fonte: Wiliam de Oliveira/Foto: Alonso Surita‎ (Grupo Reclama Poços de Caldas)

Deixe seu comentário

Você está em Poços de Caldas / MG
Portal Poços de Caldas
Unidade Poços de Caldas, MG


RR Serviços de Informação na Internet - 17.373.881/0001-99
© 2008-2017 Copyright Franquia Portal da Cidade ®
X